ALFONSINA STORNI – La Golondrina

Alfonsina Storni

Alfonsina Storni nasceu em um período em que sua família vivia na Suíça, em 1892, mas viveu desde os quatro anos em Buenos Aires, onde consagrou-se com sua obra literária em uma época em que as mulheres não tinham espaço no círculo literário, não eram publicadas e menos ainda lidas. É considerada uma das principais poetas latino-americanas, ao lado de nomes como Gabriela Mistral e Juana de Ibarbourou, das quais foi amiga, e tem uma extensa obra não só nesse gênero, mas também em narrativas, teatro, ensaios e textos jornalísticos. Foi mãe solteira e sustentou-se de inúmeras formas até conseguir, com muito esforço e uma prolífica obra, adentrar no meio literário argentino, no qual, até hoje, é uma referência. Alfonsina se destaca por dar voz, em sua produção literária, à subjetividade feminina e por ter reivindicado um papel justo para a mulher em uma sociedade patriarcal e opressora.

Sobre o texto

Há exatos 100 anos, a revista argentina Hebe publicava “Una golondrina”, de Alfonsia Storni. Denominado “novela breve” na obra “Alfonsina Storni: narraciones, periodismos, ensayo, teatro” (2002­), o texto foca na vida de Lucila, mulher jovem a partir da qual Alfonsina trata dos temas que são característicos de sua obra: a vida na Argentina do início do século XX, o sistema patriarcal, as injustiças às quais são submetidas as mulheres, questões da maternidade e a arte em suas diversas formas. Em termos de linguagem, o texto, com forte carga lírica, chama a atenção, pois Alfonsina se dirige diretamente ao leitor, especificamente às leitoras, a quem chama pelo vocativo “amigas”. É a essas amigas às quais se dirige “Una golondrina”/“Uma andorinha” e é apresentada a trajetória de Lucila, que em muito se assemelha à da própria Alfonsina.

Sobre a tradutora

Marina Leivas Waquil, tradutora, é doutora e mestra em Teorias Linguísticas do Léxico, com ênfase em Estudos da Tradução, pelo programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É tradutora juramentada concursada pela Junta Comercial do Rio Grande do Sul e, desde 2008, atua na pesquisa da interface entre tradução e terminologia. Desde 2017, estuda a vida e a obra de Alfonsina Storni a partir da contribuição dos estudos feministas e com foco em sua tradução para o português. Atualmente, é aluna do Programa Formativo do Centro de Estudos de Tradução Literária, da Casa Guilherme de Almeida, em São Paulo.

Trecho da tradução

Lucila ouve, continua ouvindo, ouve de novo… Pressiona contra o peito a cabecinha loira do menino e, quando o pai sai, diz ao filho, entre pequenos soluços, entre beijos humildes, entre sorrisos encantadores: vamos sair desta casa, querido, com papai não podemos mais ficar… vamos sair e você não vai mais poder brincar com a Juanita… (Texto completo para download, 603KB)

Como citar esta tradução

STORNI, Alfonsina. La Golondrina. Tradução, prefácio e notas: Marina Leivas Waquil. Acácia – revista de tradução, Florianópolis, v. 2, n. 1, p. 10-90, 2019. ISSN 2595-3915. Disponível em: <//www.revista-acacia.com.br/2019/01/alfonsina-storni>.

www.000webhost.com