JAMES JOYCE – Epiphanies

James Joyce

 

James Joyce nasceu 1882, em Dublin. Nesse período a Irlanda ainda era uma colônia britânica e enfrentava diversos problemas decorrentes do processo de colonização. Joyce saiu definitivamente de sua terra natal depois de terminar sua graduação na UCD (University College Dublin), em 1902. Viveu em diferentes países e cidades, principalmente na Itália e na França. Sua produção literária é composta de poemas, contos, peças e romances, mas foi como romancista e situando seus personagens em Dublin, que Joyce se tornou um dos escritores mais célebres da literatura ocidental. Sua trajetória literária, no entanto, foi marcada por muitas dificuldades, principalmente financeiras e de publicação de suas obras. Em 1940, Joyce e sua família chegam à Suíça fugindo da II Guerra Mundial. Em 1941, vem a falecer em decorrência de complicações após uma cirurgia no duodeno.

 

Sobre o texto

Epiphanies foi o nome dado por Joyce aos registros curtos que começou a escrever por volta de 1900, e provavelmente continuou até 1904. Depois, em Stephen Hero, o personagem principal, Stephen Dedalus, elabora a teoria da epifania, que tem um papel central na obra de Joyce. As epifanias registradas por Joyce foram seus primeiros escritos literários, primeiro circularam entre amigos, ainda no formato de manuscrito, depois foram gradativamente inseridas nos livros que começou a escrever. Após sua morte, os manuscritos foram recuperados e publicados. As epifanias foram editadas e publicadas pela primeira vez em 1956 por Oscar Silverman, com o título Epiphanies; essa edição continha apenas vinte e duas epifanias. A segunda edição, reunindo as quarenta epifanias que temos hoje, foi editada por Robert Scholes e Richard M. Kain e publicada em 1965, em The Workshop of Daedalus: James Joyce and the Raw Materials for A Portrait of the Artist as a Young Man.

 

Sobre a tradutora

Leide Daiane de Almeida Oliveira é doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução da Universidade Federal de Santa Catarina (PGET-UFSC), com bolsa CAPES; Mestre em Estudos Linguísticos e Literários em Língua Inglesa pelo Programa de Pós-Graduação em Inglês (UFSC-PPGI), também com bolsa CAPES; Graduada em Letras – Língua Inglesa e Literaturas pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

 

Trecho da tradução

Não tem aula amanhã: é sábado à noite no inverno. Eu me sento perto da lareira. Em breve eles estarão de volta com mantimentos, carnes e legumes, chá, pão e manteiga, e morcilha branca que faz um barulhinho na panela… Eu me sento lendo uma história da Alsácia, folheando as páginas amarelas, olhando homens e mulheres em seus estranhos trajes. Eu me divirto em ler sobre seus costumes; através deles eu pareço tocar a vida de uma terra além deles para entrar em comunhão com os povos germânicos. Doce ilusão, amiga da minha juventude!……. (Texto completo para download, 612KB)

 

Como citar esta tradução

JOYCE, James. Epiphanies. Tradução, prefácio e notas: Leide Daiane de Almeida Oliveira. Acácia – revista de tradução, Florianópolis, v. 1, n. 2, p. 275-332, 2018. ISSN 2595-3915. Disponível em: <http://www.revista-acacia.com.br/2018/02/james-joyce>.

www.000webhost.com