E. M. FORSTER – The Celestial Omnibus

E. M. Forster

 

Autor inglês dos romances Um Quarto com Vista, Uma Passagem para a Índia, Howards End e Maurice, E. M. Forster viveu por 91 anos, durante boa parte do século XX, o que o caracteriza como um autor do período eduardiano. Os principais temas presentes nas obras são relações pessoais e o uso da cultura pela sociedade. O autor era crítico de muitos costumes da sociedade inglesa que diziam respeito à instituição da família, a como as pessoas se relacionavam de modo geral e às consequências de um mundo cada vez mais mecanizado e consumista. Para abranger tais temas, utilizava recursos como o simbolismo e o mundo do fantástico, em especial nos contos do início da sua carreira como escritor presentes na coleção The Celestial Omnibus and Other Stories (1912).

 

Sobre o texto

O conto O Ômnibus Celeste foi retirado do livro The Celestial Omnibus and Other Stories (1912). Nesse primeiro grupo de contos, o tema principal é a sociedade inglesa e sua hipocrisia que permeia cada esfera da vida britânica do fim do século XIX para até a metade do século XX. Forster nunca se sentiu confortável com uma vida repleta de status e moralismos e aqui se posiciona, sempre de forma irônica, contra esse estilo de vida utilizando o efeito que o elemento fantástico traz. Neste conto, Forster cria uma grande metáfora para o ato de leitura, comprometido pelos avanços tecnológicos de seu tempo. Parte de tal metáfora está no contraste entre a mente da criança e do adulto perante a literatura. Os direitos autorais do conto foram comprados no dia 24 de novembro pelo tradutor junto à Society of Authors, detentora dos direitos autorais de E. M. Forster.

 

Sobre os tradutores

Vinícius Ritter é graduando do curso de Bacharelado em Tradução – Letras Inglês e Alemão na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Além de muitas traduções feitas ao decorrer da graduação, agora se ocupa com a tradução do livro The Celestial Omnibus and Other Stories (1911) por inteiro, do qual o conto aqui presente foi retirado; assim como com a tradução da peça Draußen vor der Tür (1947), do autor alemão Wolfgang Borchert. Contato: viniciuscasanovaritter@hotmail.com.

Rosalia Angelita Neumann Garcia é professora titular aposentada do Departamento de Línguas Modernas da UFRGS, onde atuava principalmente nas áreas de literaturas de língua inglesa e tradução literária.

 

Trecho da tradução

O menino que morava em Agathox Lodge, na Rua Buckingham Park número 28, na região de Surbiton, ficava muitas vezes intrigado com a placa antiga do outro lado da rua. Ele perguntou à mãe sobre a dita cuja, e ela respondeu que se tratava de uma brincadeira de mau gosto feita há muitos anos por alguns jovens atrevidos, e que a polícia deveria removê-la de vez. Pois que havia duas coisas suspeitas sobre a placa: primeiro, ela apontava para um beco sem saída, e segundo, estava escrito nela “Em direção ao Paraíso” com tinta desgastada. (Texto completo para download, 621KB)

 

Como citar esta tradução

FORSTER, E. M.. The Celestial Omnibus. Tradução, prefácio e notas: Vinícius Ritter e Rosalia Angelita Neumann Garcia. Acácia – revista de tradução, Florianópolis, v. 1, n. 2, p. 55-110, 2018. ISSN 2595-3915. Disponível em: <//www.revista-acacia.com.br/2018/02/e-m-forster>.

www.000webhost.com